segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Caminhada dos Boas Solas - Vale do Bestança, 21 de Janeiro, parte I


Dia grande...
É tradição que a primeira caminhada do ano tem que ser emblemática e esta tradição cumpriu-se mais uma vez com este fantástico percurso  do PR2 - Rota do Vale do Bestança.
Que local fantástico!
Caminhada longa de 7 horas para percorrer 19 km, 1300 metros acumulados de subida, 400 m de descida, por caminhos "velhos" que se perdem nas noites dos tempos...que ligam aldeias, campos, o Rio Bestança, ribeiras, florestas e serra.
Tempo frio (entre os 3º C e os 6ºC) mas com sol e sem vento, boa visibilidade, caminhos de água gelados a merecer cuidados redobrados, gentes de fácil e boa conversa na passagem pelas aldeias... as brincadeiras e a amizade sempre presente dos Boas Solas... esforço, natureza, ar puro, o lindíssimo vale que acaba no Douro, que receita, quem esquece um dia assim? Fica-se novo...
Palavras serão sempre poucas para descrever a magia deste percurso mas algumas palavras de recomendações serão suficientes... Percurso no sentido ascendente a pedir treino e descendente a evitar no Inverno com gelo ou pela água que caminhos ocupa... Na Primavera deve ser uma delícia, no Verão... muitas ribeiras para refrescar mas também muito para sofrer com as imensas subidas (declive médio na ordem dos 9%).
Percurso muito bem assinalado (parabéns à CM de Cinfães), por isso de fácil orientação, técnico no tipo de piso (caminhos de pedra, por vezes com água corrente e nesta caminhada com muito gelo), a exigir significativo esforço físico pelo desnível a vencer com algumas subidas muito acentuadas, no conjunto a merecer um grau de "médio +" quanto à dificuldade. 
Chegada às Portas de Montemuro às 17h00 onde o Sr. Manuel nos aguardava com o seu táxi para transportar os condutores dos carros que tinham ficado no ponto de partida (Vila de Muros).
E como é costume nos Boas Solas, o dia acabou num alegre encontro gastronómico para repor níveis, tipo lanche sob a forma de jantar, no famoso Recanto dos Carvalhos na Aldeia da Gralheira, aldeia típica perdida no meio da serra. Cozido e posta já aviada... e já com 3 horas decorridas desde o pôr do sol e temperatura negativa de 1ºC cá fora, era hora de nos despedir e regressar!
Que dia, Bom Ano!
E como palavras já são muitas para a posteridade, aqui vão as imagens...

10h00, Vila de Muros, 400 m de altitude
Ponte de Soutelo
Tendais

Mais uma passagem pelo Rio Bestança antes da subida para Bustelo

3 comentários:

Alberto Pereira disse...

Muito bom!
Para fazer... Brevemente!
Obrigado pela partilha e parabéns pelo excelente blog.
Saudações montanheiras;

Alberto Pereira
(Trilhos a Norte)

F.Alba disse...

Obd pelas suas palavras, saudações montanheiras também!
Francisco Alba

Cassilda Santos disse...

Obrigada por partilhar o testemunho fotográfico do lindo passeio. Saudações gastronómicas aqui do nosso Restaurante Recanto dos Carvalhos. HOje a Gralheira está branquinha :)